fbpx

Equity crowdfunding: uma nova realidade para investimentos em startups

Você com certeza já se deparou alguma vez com o termo “crowdfunding”, seja em um artigo pela internet ou mesmo na forma de um anúncio sobre um projeto tentando arrecadar fundos para a sua execução. Mas e de equity crowdfunding, você já ouviu falar? 

Diferentemente daquele, que pode ser definido, grosso modo, como um financiamento coletivo executado de forma digital visando colocar em prática um projeto, seja para qual fim for – e dando algumas “recompensas” para os financiadores, o equity crowdfunding justamente surge como uma alternativa mais “especializada”, por assim dizer, uma vez que se trata de um financiamento coletivo com o intuito de colocar em funcionamento uma startup e os financiadores tornam-se, sobretudo, investidores

Equity, uma palavra que muda tudo… 

Ou seja, ao adicionar “equity” à “crowdfunding” ou trocar “financiadores” por “investidores”, muita coisa muda de figura. No crowdfunding normal, as pessoas que ajudaram a ideia a se tornar uma realidade ganharão recompensas ou até mesmo o próprio produto financiado, mas, no equity, elas terão uma parte do projeto, participando ativamente – e isso é traduzido em… lucros! 

Um exemplo de como funciona o equity crowdfunding

Funciona assim: você e um grupo de amigos tiveram uma ideia inovadora, como, por exemplo, criar uma plataforma, uma exchange de criptoativos, talvez, que permite a democratização de acesso a investimentos ao facilitar a conexão entre investidores com um sistema de segurança bastante sólido. Para fazer o negócio acontecer, precisam de um acréscimo de capital que não possuem. Após iniciar um equity crowdfunding, eles conseguem esse capital – e os investidores que assim o permitiram ganham uma parte societária no projeto. 

Mudando o modo de investir

Gostaria que o leitor guardasse na memória o exemplo dessa nossa startup em específico enquanto continuo. Antigamente, para se investir em uma startup em ascensão, os entraves eram diversos. A burocracia para dar cabo do investimento em forma offline tornou praticamente inviável o processo. Até surgir o equity crowdfunding

O que antes era uma dor de cabeça, um verdadeiro full-time job (isto é, o processo de investir em uma startup), hoje é uma revolução no mercado. Pois o equity permite investir diretamente em startups de grande potencial em poucas horas ou até mesmo em minutos – SEM SAIR DE CASA. E, se você ainda não percebeu o quanto isso mexe na conjuntura do mercado global, basta apenas conferir estes dois cases brasileiros a seguir.

Transformando em números – ou, melhor, cifrões…

RESALE: é tida como o maior outlet imobiliário do Brasil. Participou de um equity crowdfunding e depois foi comprada pelo BTG Pactual (maior banco de investimentos da América Latina, diga-se de passagem), o que gerou um retorno para quem comprou as cotas da Resale.

CERVEJARIA LEUVEN: dentro de tudo o que falamos até agora, imagine a maior rodada de captação via crowdfunding que já aconteceu na história do Brasil. Pois bem, é claro que aconteceu… e a Leuven é a dona do título: foram R$ 5 MILHÕES de reais captados. 

Sucesso

Existem outros inúmeros exemplos, mas o que fica de cada um acima é, no primeiro, o espantoso ganho para os investidores  – e a rapidez como isso aconteceu, para não falar no valor e, no segundo, o ganho dos idealizadores. E, claro, não se limita a um  exemplificar as vantagens para o investidor e outro as dos idealizadores, pois, evidentemente, ambos os lados saíram ganhando nos dois casos – e muito.  

Uma palavra-chave: “democratizar” 

Há algum tempo neste texto, pedi para você guardar o exemplo de nossa startup, aquela que criou uma plataforma que tinha o intuito de democratizar o acesso a investimentos por meio de recursos ágeis e seguros. Pois bem. Vamos mais a fundo em como ela poderia adquirir seus recursos, tendo em mente tudo o que já visitamos sobre o conceito de equity crowdfunding. Ela coloca 15% de suas ações societárias disponíveis sob esse modelo – ou seja, divide essa porcentagem em cotas. Vários investidores adquirem essas cotas. Isso se chama cota de startups e é por aí que os investidores adquirem sua parte e, com a evolução da empresa no mercado, lucram, proporcionalmente ao valor da cota que adquiriram. 

Dessa forma, o equity crowdfunding se revela uma excelente forma de negócio, além de ser a melhor maneira de alavancar startups com grande potencial. O exemplo de startup utilizado neste texto não difere muito do que a própria Wuzu é, guardadas as devidas proporções. Uma coisa é certa: o lema é o mesmo, “democratizar o acesso a investimentos”. Por falar nisso, você já conhece nossa Plataforma de Emissão de Tokens? Acesse https://wuzu.io/plataforma-de-emissao-de-token/ e não deixe de conferir! E, para mais conteúdos como este, fique ligado em nosso blog!

CONHEçA NOSSAS Redes Sociais:

A Wuzu cria e oferece suporte a projetos de ativos digitais desde 2017. Nosso conjunto de produtos é modular e de fácil configuração, possibilitando a execução de uma solução completa em cerca de 2 horas.

Em Uma Semana Seu MVP estará no ar!